domingo, 27 de junho de 2010

Fale.


Fale, por favor, fale. Eu preciso escutar dessa tua boca, com esta voz e principalmente saído desse teu coração, o “eu amo você”. Fale uma, duas, mil vezes. Fale quantas vezes você quiser, mas não cale. Eu preciso dessa frase para me sentir viva, me sentir bem. Eu preciso desse sonho de amor para ter forças para lutar por nós. Eu preciso da tua presença constante a me observar. Eu preciso dos teus olhos a me guardar. Eu preciso do teu ‘boa noite’ para não ter pesadelo. Por isso, fale. Você não tem idéia do quanto isso cresce e floresce dentro do meu peito. Fale, com todas as letras, em todas as línguas. Fale para que eu nunca possa ter dúvidas ou medos ou lágrimas. Lágrimas. Fale e faça-as parar. Fale com todo o seu corpo, pensamento, alma e coração. Fale mesmo no silêncio, mas me faça ter certeza da tua certeza. Fale como nunca você disse a alguém antes, e como nunca ouvi antes. Fale, por favor, fale!


Por Amanda Conrado

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir